#56 O Primeiro Dia do Resto de 2018 – Com Ivan Mizanzuk

Saudações pessoas! Neste episódio nós contamos com a presença de Ivan Mizanzuk, host do Anticast e do Projeto Humanos, e do nosso querido Carapanã para conversarmos a respeito do que pode acontecer após a prisão do ex-presidente Lula. O papo passou pela viabilidade de uma frente de esquerda e das possíveis candidaturas até as ameaças vindas dos militares. Foi fantástico conversar com essa gigante figura da podosfera, ouve aí!

A pauta começa aos 06m28s

Siga a gente no Twitter: @viracasacas
Assine o nosso feed no seu agregador de podcast
Seja um Viracasacas ou um George Soros e contribua com a gente! http://www.apoia.se/viracasacas
Veja mais informações sobre o episódio no nosso site http://www.viracasacas.com
Entre no nosso grupo no Telegram: t.me/joinchat/Gml7ZFA3B_YRVKpTo7DmOA
Mande um e-mail para nós: viracasacaspodcast@gmail.com
Siga o Anticast: @Anticast
Siga o Ivan Mizanzuk: @mizanzuk

Siga o Carapanã: @carapanarana

Dicas Culturais

Meme Wars: The Creative Destruction of Neoclassical Economics – Adbusters e Kalle Lasn

https://www.sevenstories.com/books/3305-meme-wars

Doutrina do Choque – Naomi Klein – Livro e documentário

Elio Gaspari -coleção sobre a Ditadura Militar Brasileira

https://www.intrinseca.com.br/autor/188/

Biografia Getúlio Vargas – Lira Neto

https://www.companhiadasletras.com.br/autor.php?codigo=02733

As lutas populares na América Latina e os governos progressistas – Paula Klachko e Katu Arkonada

https://expressaopopular.com.br/loja/produto/as-lutas-populares-na-america-latina-e-os-governos-progressistas/

 

Um comentário sobre “#56 O Primeiro Dia do Resto de 2018 – Com Ivan Mizanzuk

  1. Ciro Gomes não entraria em chapa com Joaquim Barbosa. Ciro é já disse várias vezes que não vê com bons olhos um juiz midiático. (Pelo menos não enquanto juiz).
    Ciro diz que aceita fazer privatizações? Sim, mas afirmou que necessariamente irá reverter a marmelada que fizeram no começo do governo Temer reestatizando a exploração de certos poços cujo o barril nos é pago literalmente preço de quilo de banana, menos de 2 dólares. Nacionalista? Sim, mas já disse várias vezes que admira e concorda com nossa tradição receptiva a imigrantes e refugiados. O nacionalismo dele é mais contra síndrome de vira-latas, pró indústria que é o setor que para os melhores salários. O problema do governo Dilma não foi flertar com a indústria, foi o de flertar com o setor financeiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s