#44 Sustentabilidade e Capitalismo

Saudações pessoas! Nesta semana convidamos o nosso amigo Sergio Aquino para participar do Viracasacas e conversar conosco a respeito de sustentabilidade na atualidade. Será que é possível conciliarmos consumismo, crescimento e alta produtividade com os ideais da sustentabilidade? Quais são os impactos do modo de produção vigente e do estilo de vida que possuímos? Saiba mais sobre este que é um dos assuntos mais importantes da atualidade. Ouve aí!

A pauta principal começa aos 07m03s

P.S. Por volta de 1h29m o áudio do nosso convidado teve problemas, por isso vocês ouvirão um ruído e, infelizmente, ficamos sem a sua dica cultural.

Siga a gente no Twitter: @viracasacas

Assine o nosso feed no seu agregador de podcast

Seja um viracasacas ou um George Soros e contribua com a gente! www.apoia.se/viracasacas

Entre no nosso grupo no Telegram: t.me/joinchat/Gml7ZFA3B_YRVKpTo7DmOA

Mande um e-mail para nós: viracasacaspodcast@gmail.com

Artigos Sergio Aquino: https://imed.academia.edu/SergioRicardoFernandesdeAquino

Siga o Sergio no Twitter: @sergiorfaquino

Citados durante o episódio

Nicholas Georgescu-Roegen

http://www.oeco.org.br/agenda/lancamento-do-livro-o-decrescimento-entropia-ecologia-economia

Serge Latouche

http://www.almedina.net/catalog/product_info.php?products_id=12985

José Eli da Veiga

http://www.zeeli.pro.br/

Ignacy Sachs

http://www.pucsp.br/catedraignacysachs/ignacy-sachs.html

Zygmunt Bauman – Retrotopia

http://www.zahar.com.br/livro/retrotopia

Dicas Culturais

Jennifer Egan – Circo Invisível

https://www.intrinseca.com.br/livro/472/

The True Cost (O Verdadeiro Custo)

3 comentários sobre “#44 Sustentabilidade e Capitalismo

  1. Boa tarde pessoal do viracasacas!

    Queria dizer que tenho adorado o podcast de vocês e que os programas tem me acompanhado, nas últimas semanas, na minha rotina. Eu sou estudante de Ciências Sociais e tenho trabalhado como pesquisador com a questão ambiental através de uma perspectiva da antropologia nos últimos anos. Apesar de flertar bastante com a teoria marxista também, concordo muito com o que foi dito nessa edição sobre os pontos de semelhança que podemos traçar entre o liberalismo e o marxismo enquanto teorias fundamentadas na concepção de indivíduo moderno através da noção de progresso – justamente porque sempre fiquei fascinado com teorias como o perspectivismo ameríndio do Viveiros de Castro que concebem a natureza em um viver que dificilmente compreenderíamos. Todavia, no último semestre, tenho me debatido bastante sobre os discursos que proferimos em relação a este tema: pensando que o progressismo não é só uma prática concreta mas também todo um ethos e uma visão de mundo, será que realmente poderíamos (ou gostaríamos) de abdicar desta noção?

    Pensando que estamos muito mais enraizados nestas concepções em relação a natureza do que imaginamos, deixo uma indicação de livro que mudou minha concepção sobre o assunto: a invenção da ciência moderna da Isabelle Stengers. Indo para além de Latour, o capítulo nove chamado “Devires” é uma importantíssima reflexão para aprofundarmos o que queremos para o futuro a partir da perspectiva de que, hoje, sabemos que não podemos mais acreditar na noção de racionalidade e progresso. O que a autora trás de diferente é que saber que não podemos mais acreditar nessa consciência mítica do século XX não quer dizer que deixamos de crer nela: todos nós somos filhos e filhas do cientificismo e da vontade de sempre “progredir”. Fikdik pra ter um mindblow gostoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s